27.7.11

Foto do dia

a ride is phenomenal
Foto de mrashdi
   

Vídeo musical com classe

Um telescópio não é algo de extraordinariamente interessante certo quero dizer tem sempre alguma piada poder ver objectos estupidamente distantes mas a coisa fica por aí ou talvez não ora tomemos por exemplo o Sol situado a 8 minutos-luz da Terra isso significa que a luz da nossa estrela demora 8 minutos até chegar a nós uma consequência engraçada disto é que quando olhamos para o Sol cuidado perigo de cegueira não estamos a ver o Sol como ele é agora mas sim como ele era há 8 minutos atrás e é aqui que as coisas começam a ficar interessantes provavelmente estamos todos familiarizados com o conceito da máquina do tempo já H. G. Wells escreveu sobre este aparelho de ficção no fim do século XIX e nem foi o primeiro e decerto que também concordamos que é coisa que não existe na realidade nem existirá durante muitos anos ou talvez não é aí que entram os telescópios quanto maiores forem mais longe conseguem ver se construirmos um telescópio que consiga ver a um milhão de anos-luz de distância então como a luz demorou esse tempo todo até chegar a nós teremos uma imagem de como era esse pedaço de Universo há um milhão de anos atrás os telescópios são máquinas do tempo autênticas máquinas do tempo não podemos viajar ao passado mas podemos tirar-lhe uma foto impressionante ou quê os telescópios mais potentes conseguem ver objectos a 13 biliões de anos-luz o que se aproxima bastante da idade estimada do Universo e por isso aqui fica um vídeo com gajas e Apes.

   

26.7.11

Foto do dia

Vespa trips
Foto de Sérgio Moura
   

Tudo sobre a Lambretta LN

Bem, tudo não. Aí uns 2 ou 3 parágrafos.


A apresentação oficial da nova Lambretta LN decorreu há poucos dias e as reacções começam a chegar ao super-computador da Horta que agora as digeriu e regurgitou numa dose pequena de fácil digestão. (todas as apreciações desta posta são de validade duvidosa já que eu nem sequer vi o bicho ao vivo)

Aquela que pode ser considerada como a primeira Lambretta nova em 40 anos foi concebida e desenhada por Italianos, mas ao nível do design eu estava à espera de muito mais: a traseira até se safa mas a frente tem um aspecto tristemente plástico e asiático. A LS (versão de 50cc ainda não lançada) parece mais bonita. (Update: a LS terá versões de 125 e 150cc, também)

A construção é Taiwanesa, cortesia da SYM e da base da bem conhecida Fiddle 125, o que augura qualidade e fiabilidade razoáveis. Há painéis metálicos (surpresa!) nos balons e na dianteira, mas o quadro continua a ser tubular e o plástico abunda. O motor é um comum oitavo-de-litro a 4 tempos arrefecido a ar, e haverá uma versão 150.

Com inspiração clara nos vetustos modelos LI e SX, a LN estará disponível em cinco combinações de cores:  verde, azul, amarelo, vermelho e salmão. O farolim e os piscas são de LEDs (os piscas traseiros salientes parecem muito expostos aos obstáculos) e o equipamento é normal. Não há conta-rotações mas há um botão de abertura do selim no guiador. Por baixo do selim não há espaço suficiente para meter um capacete tipo jet!

Pontos positivos: linhas retro (para quem as achar agradáveis), base SYM comprovada, conforto, comportamento na cidade, rodas de 12 polegadas, gancho de bagagem e chão plano. Pontos negativos: preço elevado, comportamento a alta velocidade, velocidade máxima de 90 à hora, espaço por baixo do selim diminuto, comportamento da forqueta, iluminação fraca. Resumo: parece ser uma scooter apenas para cidade, e ainda por cima carota - o preço no estrangeiro ronda os €3799. Podem ver um teste em vídeo aqui. E já não falo mais em aceleras durante o resto do ano.

Foto do fabricante
Cilindrada: 52,4 x 57,8
Motor: 4 tempos, 1 cilindro, 2 válvulas
Potência: 8,8 cavalos -8000 rpm
Torque máx.: 8,6 Nm - 6500 rpm
Arrefecimento: ar
Arranque: eléctrico
Alimentação: por carburador
Transmissão: automática
Suspensão fr.: forqueta telescópica hidráulica, ø33, 107 mm de curso
Suspensão tr.: 1 amortecedor de mola
Travão fr.: 2 pistões, ø 190mm
Travão tr.: tambor, ø 130mm
Roda fr.: Tubeless 110/70-12"
Roda tr.: Tubeless 120/70-12"
Peso: 114 Kg
Capacidade depósito: 6 litros
Autonomia: 160 Km
Consumo médio: 3,8 l/100 km
Quadro: aço tubular
Comprimento: 1962mm
Altura selim: 784mm
Velocidade máx.: 90 km/h
    

21.7.11

Foto do dia

Restored T5
    

25 anos de T5

A derradeira evolução da gloriosa linhagem desportiva da Vespa clássica, a emblemática T5, está a celebrar 25 anos de idade. Para comemorar esta efeméride, a Horta apresenta uma secção duma brochura publicitária nacional da época com uma foto de estúdio e as características básicas da "PX125 T5". O consumo indicado afigura-se-me como criminosamente optimista. :-)

T5 brochure      
A Scooter Center fez um vídeozito comemorativo onde também mostram algumas das peças que têm disponíveis para este modelo, caso um restauro esteja nos vossos planos.

   

20.7.11

Foto do dia

IMG_3046
Foto de SIP Scootershop
Rust is not a crime.
 

Uma peça de cada vez

A "nova" PX/ PX de 2011/ E3/ M741/ ZÁPMer pode ter uma quantidade assustadoramente grande de designações alternativas, mas o seu preço não lhe fica atrás; depois de pagarmos a documentação toda e o capacetezinho da marca e os pneus de faixa branca, talvez recebamos troco de 4000 euros. Sou assim obrigado a constatar que a substituição da minha própria Vespa PX não é provável.

A não ser que eu transforme a minha PX de 1987 numa PX completamente nova, trocando uma peça de cada vez. De génio! Comecei pelo perno da alavancazinha do travão de trás que bem precisava. Já sinto a diferença na suavidade de condução e tudo.

 Rear brake pin replacement

A operação foi relativamente indolor graças a uns zip-ties reciclados habilmente posicionados.

Rear brake pin replacement

E, para o meu próximo truque, vou desmontar e limpar o filtro de ar em andamento.
     

19.7.11

Foto do dia

bike on blue
Foto de Bunn's Photos
   

Problemas de parafusos

O parafuso não quer girar. E agora?

A primeira coisa a fazer é não fazer nada. Evitar piorar a situação. Fume-se um cigarro/ beba-se um café/ veja-se um episódio do Dragon Ball e retome-se o problema de mente limpa e descontraída. Limpe-se bem o parafuso, pegue-se na chave de melhor qualidade disponível e tente-se de novo. Umas pancadinhas no parafuso podem ajudá-lo a soltar-se, e empurram as rebarbas criadas pelo escorregar da ferramenta de volta ao sítio, "apertando" a fenda/cruz onde a chave encaixa. Umas pancadinhas na chave de fendas/de cruz para a encaixar bem também não fazem mal.

Para evitar que uma chave de fendas derrape deve-se usar a maior chave possível, e com faces paralelas. Para evitar que uma chave em cruz (Philips) derrape, devemos aplicar força no sentido do parafuso, apoiando todo o nosso peso no cabo; a chave pode então ser girada com um alicate ou um roquete (se a chave tiver essa aplicação). Se se tratar de um parafuso de cabeça hexagonal e a chave de bocas tiver folga excessiva na cabeça, pode-se tentar eliminar essa folga com uma lasca de metal fino o que diminuirá a probabilidade da chave saltar por cima das arestas.

Impact driver
A chave de pancada funciona à pancada, literalmente

E se mesmo assim o parafuso de fenda/cruz não girar? Utilize-se uma chave de pancada ("impact driver"). É uma peça pesada e sólida que contém um mecanismo em espiral no seu interior. Ao darmos uma martelada na sua extremidade, a outra ponta irá rodar um oitavo de volta. A combinação da força do martelo no sentido do parafuso e o movimento de desaperto (ou aperto, pode-se seleccionar) simultâneo consegue rodar parafusos aparentemente imóveis para toda a eternidade.

O calor ajuda. Aquecer as roscas à volta do parafuso preso, especialmente se forem de alumínio, dilata-as e ajuda o processo. Podem-se aplicar vários ciclos de calor e frio para ajudar a "descolar" um parrafuso que sofra de corrosão ou soldadura galvânica. Óleo penetrante durante alguns dias também é terapêutico.

Cabeça moída/arredondada? A primeira solução é preventiva: usar uma ferramenta de qualidade e em bom estado que se ajuste perfeitamente à cabeça, e não a deixar escorregar. As restantes soluções são algo mais destrutivas: agarrar no bicho com um alicate de pressão, ou cortar uma ranhura na cabeça com uma Dremel para utilizar uma chave de fendas, ou bater com um ponteiro numa extremidade da cabeça para a tentar fazer girar, ou fazê-la desaparecer por completo (cortando-a ou furando-a com um berbequim).

Screw extractor set
Não são machos mas são ferramenta de macho

No caso de a cabeça partir ou se a decidirmos cortar entra em cena outra ferramenta especializada, o extractor de parafusos. Parece-se com um conjunto de machos de fazer rosca mas a diferença reside numa espiral pronunciada no sentido inverso ao normal. Para o usarmos, deve-se fazer um furo no centro do corpo do parafuso. O extractor encaixa no furo e, ao ser apertado no sentido anti-horário, faz girar o parafuso também. O truque é fazer um furo alinhado com o veio do parafuso, que não "saia fora" do parafuso e danifique as roscas. Usar brocas de qualidade novas, fazer uma marca inicial com um ponteiro, utilizar uma broca mais fina inicialmente e ir alargando o furo, sem pressa e com o berbequim perfeitamente alinhado são excelentes ideias.

Se tudo falhar, aquele torneiro habilidoso que o não-sei-quantos conhece consegue resolver o problema.
    

18.7.11

Foto do dia

Down the line Ciao
Foto de Tom Irwin
  

Novo kit Polini para motores 200

O velho Polini 207 em ferro foi amado por muitos mas podia ser levado aos seus limites térmicos com facilidade, se não se tivesse cuidado. Pois o preparador transalpino lançou agora uma versão não ferrosa da mesma fórmula mas implementada em alumínio de alta qualidade, para obter boa dissipação de calor.

Foto de Polini

A marca alega uma temperatura de funcionamento mais baixa graças ao tipo de alumínio e ao desenho das alhetas, e o seu pistão de 2 segmentos de 68.5mm aparenta ser uma boa peça para touring, ou até kitanços de corrida. Os possuidores de motores de PX200 ou Rally 200 podem ficar com uma ideia do preço Italiano que é €298 mais o IVA deles.

15.7.11

Foto do dia

IMG_8773
Foto de Pistol Pete
    

As mais recentes tendências mundiais

A mais recente tendência da Cena Scooterista Clássica Nacional (C.S.C.N.) parece ser a inexistência de tendências recentes. Desconfio que está toda a gente a guardar os porta-couves laterais cromados em dourado para o Ibero, para ganharem pontos-extra de surpresa.

A escassez de piadas informação séria e pertinente obriga-me, deste modo, a alargar novamente o meu círculo de análise, que passa a cobrir as mais recentes tendências da Cena Scooterista Clássica Mundial (W.M.X.R.P.P.Q.). A nova "Lambretta" LN já está dentro de contentores num barco a caminho das Europas...

Foto de arpem.com
...a scooter da BMW já rola em formato eléctrico...

Foto de bmwblog.com

...os bifes meteram um motor de 700cc numa Lambegreta...


...os Correios Espanhóis receberam secadores a pilhas (o que preconiza um fornecimento instável de balons amarelos e forquetas com travão de disco)...

Foto de e-max-scooter.com

...e a LML de roda 12 afinal existe. É um mundo estranho e assustador este em que vivemos.

Foto de Vivo Scooters
    

13.7.11

Foto do dia

IMG_8665
Foto de Pistol Pete

6º Caramulo Motor Festival

Tento não encher a Horta com notícias de concentrações e passeios, mas o Caramulo Motor Festival é um dos que tem piada. Em Setembro é a próxima edição, desta vez com um destaque especial às duas rodas: Vespas, Harleys, biclas antigas... Vejam como foi o ano passado aqui.

Vespa Caramulo 2011

Nos dias 2, 3 e 4 de Setembro, o Caramulo recebe a 6ª edição do Caramulo Motorfestival - Festival Internacional de Veículos Clássicos e Desportivos. Este ano, os veículos de duas rodas vão ser os convidados especiais deste evento, que é de entrada livre e com actividades para toda a família. Estão programadas as seguintes actividades com motas e bicicletas:

-Presença da HM Racing Team: A HM Racing Team, equipa que disputa o actual Campeonato Motosport de Velocidade de motociclos, vai estar presente no Motorfestival. Os quatro pilotos da equipa, Tiago Dias, José Leite, José Silva e Nuno Caetano, participarão na rampa em motos Suzuki GSX-R1000, de forma lúdica.
-Vespa Caramulo: Depois do grande sucesso desta iniciativa em 2010, as míticas vespas voltam a juntar-se para desfilarem na “Grande Parada”, no dia 4 de Setembro. São esperadas mais de 100 motas. Os interessados podem juntar-se à iniciativa, desde que façam um pré-registo, contactando o Museu do Caramulo.
-Raiada do Caramulo (novidade): Pela primeira vez, o Motorfestival vai ter uma concentração de bicicletas antigas, organizada pelo Museu do Caramulo em parceria com a Men in Bike. No dia 3, Sábado, vão juntar-se algumas dezenas de bicicletas antigas em concentração, e numa descida da Rampa.
-Passeio Harley-Davidson (novidade): Mais de 150 motos da lendária marca norte-americana vão chegar ao Caramulo no sábado, dia 3, subindo depois a rampa em parada.
-Decorrerão ainda algumas demonstrações de outros modelos e marcas a subirem a Rampa do Caramulo ao longo do evento, desde as KTM SMR 450 de 2010 até motos clássicas.

Para além destas iniciativas, o Caramulo Motorfestival tem ainda quatro provas de competição: Rampa do Caramulo (Campeonato de Portugal de Montanha), Rampa Histórica do Caramulo, Rampa do Caramulo Super Seven by Kia e Rally Histórico Luso-Caramulo. Será também a oportunidade para visitar a Feira de automobília, Concentrações de Clubes e outras actividades já agendadas, que poderão ser consultadas no site www.caramulo-motorfestival.com.

O Caramulo Motorfestival tem crescido todos os anos em número de participantes. Em 2010, a afluência de público ultrapassou a marca das 27 mil pessoas, que ao longo dos 3 dias de evento puderam ver de perto os mais de 500 veículos participantes. O Caramulo Motorfestival é uma organização do Museu do Caramulo que conta com o apoio da Câmara Municipal de Tondela, Nutroton, Estradas de Portugal, Banco BPI, Turismo Centro de Portugal, Ford – Garagem Lopes e Lusitânia Seguros.

Sofia Lages Fernandes | sofia.fernandes@porternovelli.pt – 21 313 61 12 – 93 33 62 131
Clara Silva | clara.silva@porternovelli.pt – 21 313 61 0
   

12.7.11

Foto do dia

Vespa
Foto de robmarte
   

Jovem, GS160-ifica a tua PX ou LML!

A Cena Scooterista Clássica Nacional (C.S.C.N.) está a ser inundada com PêXizers e LMLs fresquinhas, acabadas de sair dos standers. O problema é que são todas muito iguais e estou convencido que os seus donos rapidamente sentirão uma vontade irrestível de customização.

Os bifes (update: Escoceses) da Vivo Scooters têm uma solução para o problema que, creio eu, é perfeita para a C.S.C.N.: um body-kit GS160-ificador, sem furar ou cortar!

Fotos de Vivo Scooters

O kit que vêem aqui custa 650 libras, e inclui balons em metal, guarda-lamas em metal, nariz da buzina em plástico, piscas dianteiros que tapam as aberturas rectangulares no avental, pára-choques traseiro em plástico que prolonga as linhas do quadro, suporte de matrícula em plástico com piscas traseiros incorporados, farolim traseiro estilo SS180, tampa de guiador em plástico para velocímetro pequeno (?) e compatível com travão de disco, e amortecedor dianteiro mais baixo.

Parece ser tudo de montagem fácil, com apenas um ajuste a fazer nas fixações do guarda-lamas e amortecedor na forqueta. O farolim monta nos furos já existentes mas ficará com melhor aspecto se se fizerem furos novos um pouco mais abaixo.


Existem ainda mais acessórios para quem desejar aprofundar a transformação, como um velocímetro retro, um porta-luvas estilo GS160 em metal, distintivos retro, e bacalhau e unhas do chão à anos 60. Todas estas peças são vendidas individualmente, em primário ou pintado, à vontade do freguês.

        

11.7.11

Foto do dia

Vespa amarela
Foto de microlito
  

PX Made in Taiwan

Com apenas 75mm de comprimento, mau estado geral e um farol vermelho, esta PX amarelada não está legal para andar na via pública. Suspeito que tenha um passado de competição por causa das suas rodas de raios em liga leve, porta-luvas selado e suspensão traseira radicalmente rebaixada.

P7106610

P7106612

Os dizeres "made in taiwan" que se encontram em alto relevo no balon esquerdo provavelmente indicam um antigo patrocínio de competição; o velocímetro parece estar encravado nos 70 à hora, alguém sabe onde posso comprar outro? (não encontrei speedos de 6mm no site da SIP...)
   

8.7.11

Foto do dia

Foto de Sofia Torrão
 

Porcas e feias

Já vi velhotes a chegarem às concentrações, sacarem do paninho e começarem a polir diligentemente a Sprinter. Eu, por outro lado, passei os últimos anos sem sequer lavar a Vespa.

Posso ser porco mas não sou cego. Era óbvio que a PX começava a ficar imunda. O chão estava a quase a gerar o seu próprio ecossistema. Aos poucos comecei a pensar "meu, tenho que lavar a PX um dia destes"; depois de ter testado a PX nova durante alguns dias, passou para "meu, tenho mesmo que lavar a PX"; e depois de um raio duma gaivota se ter aliviado em cima do meu velocímetro, passou a "fónix é hoje!"

P6296530
Antes de secar ainda parecia pior...
Não acho que o facto de uma gaivota ter largado um poio em cima da minha Vespa seja sinal do Apocalipse - algumas coisas são apenas azar. No entanto, o facto de eu ter lavado a minha Vespa após vários anos de negligência higiénica quase total é um indicador claro da proximidade de 1000 anos de caos e sofrimento.

Já nem me lembrava que a tinta tinha brilho...

Continuando no tema das Vespas insalubres, pude observar em Aveio a Vespa Super Com Pior Aspecto De Portugal (V.S.C.P.A.D.P.). E, creio também, territórios de soberania partilhada. O mercado nacional das Vespas clássicas está mesmo a raspar o fundo do barril...

P6266408

P6266409
"É só passar um paninho..."

Este exemplar estava estacionado na rua e a única razão que encontro para a sua localização (em vez de no fundo de um poço ou 2 metros abaixo do chão) é que teria um papel afixado com os dizeres "Vendo 1800 euros" e um telemóvel. O papel desapareceu pois alguém considerou o negócio atraente.

Ainda há tempo de a pintar de azul-cueca e ir curtir o Verão.
    

7.7.11

Foto do dia

GS160 MK1 1962
Foto de Mikael Strandberg
    

IberoVespa!

Já se sabe onde terá lugar o 15º IberoVespa! Armamar, para os lados de Viseu. As curvas prometem.

15º IberoVespa

O VCL criou um site específico onde poderão conhecer o local, estudar o programa e realizar a inscrição. E, com isto, é altura de ressuscitar esta posta.
        

5.7.11

Foto do dia

blown vespa
Foto de scott597
    

Pinasco-ifica o teu velho motor de 2 transfers

Jovem! Tens uma Vespa de dois banquinhos com um motor de 2 transfers e gostavas que ela andasse mais? Pois a Pinasco acabou de divulgar um press-release duma nova linha de produtos dedicados especialmente aos propulsores bi-transféricos a partir de 1960. Lá se vai o subsídio de férias!

Foto de Pinasco

A Pinasco desenvolveu kits de 177 cc tanto em ferro como em alumínio junto com escapes específicos para roda 8" e roda 10", cambotas de alta performance para substituir as originais com casquilhos, culaças de vela central específicas para VNB e GT, e carburadores específicos desenhados para obter os melhores resultados nestes motores. Poderão instalar todas estas modificações deixando o aspecto exterior do motor exactamente como original mas com a potência e fiabilidade Pinasco.


25030842 Kit de alumínio 177cc
25030804 Kit de ferro 177cc
25294887 Carburador Vespa 20/20 para 2 transfers
25560812 Escape cromado para roda 8"
25560813 Escape cromado para roda 10"
25243700 Culaça de vela central VRH
25070150 Touca de cilindro 2 transfers para vela central
25080900 Cambota para VNB/VBB/GL
25080901 Cambota para GT/GTR/SPRINT/TS
(as cambotas estarão disponíveis a partir de Setembro 2011)
   

1.7.11

Foto do dia

Imagem de LML.pt @ FB

A LML 200i está quase aí!

Bob conserta os seus piscas em directo!

Há já muitas luas que os meus piscas não funcionam. Primeiro foi problema de contactos, depois o interruptor avariou e tive que o consertar, e depois começaram a cair peças. Literalmente.

P6306547
Interruptor novo e uma peça velha que caiu da PX

Armado com um interruptor novo, um multímetro dos Chineses e uma vaga ideia que uma boa massa é essencial para o funcionamento correcto dos indicadores visuais de mudança de direcção, vou tentar reparar os meus piscas. No entanto, esta não será uma reparação normal pois vocês todos poderão acompanhá-la em directo! Hoje à tarde, a partir das 14.30 em ponto, eu detalharei em directo e ao minuto todos os passos do processo numa inovadora posta de Horta Reality Blogging© (H.R.B.)!

É fácil parecer-se um craque da mecânica se só mostrarmos os resultados positivos depois de estar tudo feito mas a Horta é cru e real e suja; todos os meus erros, burradas, dúvidas e azelhices estarão expostos para vossa apreciação, a apenas um toque da tecla F5. Desejem-me sorte e palpitem nos comentários ou no FeiçeBuque, vai ser assim bué interactivo, topam? Cá vai.

  • 08:00. Posta introdutória. ZERO piscas a funcionar. Início previsto dos trabalhos às 14.30. Carreguem no F5 para carregar as actualizações.
  • 14:30. Partida! Primeiro passo: espreitar dentro do guiador.
  • 14:32. Tampa do guiador está fora. Os fios do pisca descem lá para baixo, é necessário ganhar acesso à fiarada por trás do nariz.
  • 14:35. O porta-couves saiu com apenas 2 parafusos. O nariz está meio solto e abana. :-\
  • 14:37. É preciso esvaziar o porta-luvas para se ter acesso aos parafusos do nariz e, sim, está a faltar um deles. 
  • 14:43. Nariz fora. Já vejo fios. Meter fotos é muito complicado. 
  • 14:49. A ficha dos fios do interruptor não quer passar pela base do guiador. Já desapertei o guiador para ter mais espaço mas está difícil. 
  • 14:55. Demorei pouco mais de 20 minutos até pegar no martelo. E estamos a falar duma reparação eléctrica! A ficha já passou pela abertura da esquerda na base do guiador, tinha pouco espaço pois também lá estão uma bicha das mudanças e a bicha da embraiagem.
  • 15:04. A ficha do interruptor novo já passou pelo guiador, graças a WD40 e a umas pancadinhas estratégicas. Agora tenho que a fazer aparecer no nariz, não sei como... 
  • 15:07. Foi mais simples do que pensava. O interruptor novo já está no sítio, vamos ver se algum dos piscas acende... 
  • 15:11. Tenho UM pisca a funcionar bem, um que não pisca e dois mortos. 
  • 15:15. A limpar contactos e massas, sejam lá elas o que forem.
  • 15:20. Não funcionou, é hora de pegar no busca-pólos
  • 15:23. Ainda nada. O balon recebe corrente mas a lâmpada não. Toca a desmontar peças adicionais. 
  • 15:26. O meu multímetro diz-me que não há nenhum problema no pisca. Sou forçado a discordar. 
  • 15:32. Era a lâmpada que estava marada, duh. Já pus mais um pisca a funcionar mas o que funcionava antes morreu. O outro continua fixo sem piscar. 
  • 15:38. Woo-hoo!!! Os DOIS piscas de trás já funceminam, um da frente acende mas fica fixo e o outro foi o que caiu fora da Vespa. Vamos ver esse agora. 
  • 15:43. É má ideia reutilizar terminais mas eu sou um rebelde.
  • 15:53. Wow, faíscas
  • 15:56. Achei dois fios extras no porta-luvas, acho que a minha PêXizer já deve ter tido o besouro do "pi-pi-pi". 
  • 16:03. Veredicto final: DOIS piscas traseiros a funcionarem, DOIS piscas dianteiros que acendem mas não piscam. Alguém sabe porque é que isto acontece???
  • 16:10. O nariz já está de volta ao sítio, tenho que descobrir um parafuso para substituir o que falta.
  • 16:14. Não há, fica mesmo assim.
  • 16:18. Porta-couves no sítio. Ficou a abanar menos
  • 16:26. Guiador no sítio e dedadas gordurosas a serem limpas. Dêem-me 15 minutos e já meto algumas fotos.

    P7016551
    O espaço que era ligeiramente menor que a ficha

    P7016554
    Pior que um chapéu de um trolha

    P7016557
    Eu sei para que servem todos estes fios. (cof cof)

    P7016558


    P7016560
    Não estou orgulhoso do que fiz mas assumo-o com toda a frontalidade

    P7016567
    Não esfreguem os interruptores com gasolina ou os símbolos desaparecem - perguntem-me como é que sei

    P7016571
    Um pisca que não pisca é um pisca?

















  • 16:50. Banho, test-drive e lanche de croissants quentinhos. Bob over 'n out.