27.2.14

As mais recentes tendências no campo das tendências scooteristas

Ainda não deram o sinal para uma Vespa 948, pois não? Fixe, pois as tendências scooteristas estão a tender para outros tendenciamentos muito melhores. A 948 afinal vai ser uma scooter de carga:

Foto de Wired. Passageiro não incluído.

Pelo menos ainda tem uma roda dianteira de Vespa, ao contrário do protótipo que tinha tudo de Vespa menos a roda dianteira.

A Piaggio também já faz progresso na Vespa 949, que é a evolução do conceito MP3 de 3 rodas:


Precisa de ser refinada. E, claro, a Tucano Urbano já está a desenvolver uma capa para as pernas compatível com a nova 949 (digam "nova 949" rapidamente três vezes) no material mais tendencialmente tendente das novas tendências, o alumínio:


Naturalmente os Indianos não querem ficar atrás deste desenvolvimentos tendenciosos de tendências tendenciais (porque a Índia é a Itália pós-Apocalipse Scooterista) e saíram-se com algo que é tão utilitário qunto refrescante:


Se a Tucano Urbano tiver uma capa para isso e se der para kitar, eu quero uma.

Estes desenvolvimentos constantes são muito stressantes e angustiantes para mim, como scooterista que procura a todo custo manter a sua posição na escala social de importância scooterista. Talvez fosse mais simples converter a minha frota inteira de Vespas e Lambrettas clássicas para motor eléctrico e nunca mais pensar em novas aquisições... E ficava só com uma de motor Wankel para matar saudades do cheirinho a escape; é verdade, o motor Wankel é a mais recente tendência scooterista. Aposto que não estavam à espera...

E pode ficar já aqui registada a minha previsão para a próxima Grande Tendência Scooterista (G.T.S.): uma Lambretta vintage de carga com três rodas e carroçaria de alumínio propulsionada electricamente por um gerador Wankel a diesel fabricada no Paquistão sob licença dos Indianos. Em azul-cueca. E vai haver um kit Pinasco para isso.
     

21.2.14

Belo chassis

Uma tem curvas perigosas, a outra é perigosa nas curvas. Mas não, está um restauro muito bem feito, não é preciso entrar em preciosismos como ter as rodas a apontar para o mesmo sítio. E ouvi dizer que chumba na inspecção se os sinoblocos não forem os de origem.

Autor deverá ser a Playboy, não?
    

17.2.14

Scooters estacionadas II

Quando eu fizer uma exposição com o meu projecto artístico de arte na forma de scooters estacionadas, estacionem as vossas scooters assim ao lado da parede que é para eu fotografar para o meu futuro livro artístico de arte sobre scooters estacionadas. Obrigado.

Untitled

Untitled

Untitled

Untitled

Untitled

Untitled

Untitled

    

12.2.14

Salvem os ciclistas

Estamos todos bem familiarizados com aquela sensação de sermos uma espécie ameaçada quando rolamos na estrada. Os autocarros e camiões passam-nos tangentes, os enlatados atravessam-se à nossa frente e empurram-nos, e basicamente tudo o que se mexe quer mandar-nos ao chão.

No entanto, os Vespistas/ scooteristas/ motociclistas não são o degrau inferior da cadeia alimentar rodoviária. Os ciclistas são os operadores de veículo mais fracos, desprotegidos e incompreendidos de todos; numa tentativa de corrigir a situação, o novo código da estrada introduz (e muito bem) várias mudanças relacionadas com velocípedes.

Uma das mais importantes (podem ver todas as alterações comentadas aqui) é a obrigatoriedade de abrandar e dar 1,5 metros de distância aquando da ultrapassagem a uma bicicleta. É claro que isto já era coberto pelas regras gerais de segurança nas ultrapassagens e pelo senso comum, mas infelizmente o senso comum não o costuma ser.

Respeite o ciclista

Assim, meus caros colegas das duas rodas de diminuto diâmetro, juntemo-nos todos na protecção dos nossos irmãos ciclistas, marginalizados e ameaçados como nós, sempre com o objectivo de uma via pública segura e pacífica, partilhada em harmonia por todos os utilizadores. Vivam as bicicletas.
    

11.2.14

Armazenamento de brocas

As minhas brocas de metal estavam miseráveis. Espalhadas pela mesa, a baterem umas nas outras numa tampa de spray, em caixas de kits delapidados e incompletos, vocês sabem como é. Mau karma, meu, mau karma.

P2040804

Liguei o Super-Computador da Horta e desenhei um suporte simples para ter todos os diâmetros alinhados e uma gavetinha para as medidas repetidas e espécimes a necessitarem de afiação - um dia destes terei uma esmeriladora e poderei afiar brocas na hora em vez de furar com um tamanho abaixo e depois forçar o tamanho correcto completamente embotado :(.

drill bit holder

O bloco principal foi feito com um bocado das pernas do Master Blaster que se cortaram para caber na carrinha, buracos de caruncho e tudo! Bom karma. Está tudo organizado e ainda há espaço para expansão da colecção nas medidas maiores. E, um dia, uma broca de pontos e uma broca de escarear.

Só falta passar uma cera catita e marcar os tamanhos. Próximo.
    

7.2.14

Vasco's Garage

Desde a inauguração das novas instalações da Vasco's Garage (na qual não pude estar presente) que tenho tentado colmatar essa falha enorme de ausência de visitas a uma das Mecas do Vespismo aqui no Norte do país.

Sempre que surge uma avaria fora da minha zona de conforto sei que posso contar com o Vasco para me aconselhar e sugerir soluções, ou para as implementar na hora. Bons quilómetros, Vasco's Garage.

Vasco´s Garage

Vasco´s Garage

Vasco´s Garage

Vasco´s Garage

Vasco´s Garage

Vasco´s Garage
  

6.2.14

A última visita ao VCL

Lembro-me de estar na sede do Vespa Clube de Lisboa há muitos anos atrás.

- Ei Bob, quando voltas para o Porto?
- Hoje, ao fim do dia.
- Não vais nada, ficas em minha casa.

E é assim que nascem os sítios míticos, populados por amigos épicos. Quando lá voltei recentemente, soube que os dias da sede na Infante Santo estavam contados; tentar capturar 60 anos de história e o ambiente inimitável daquela casa seria sempre uma tarefa vã, mas aqui ficam umas chapas medíocres como vénia reverente ao Vespa Clube de Lisboa e desejo de felicidade e sucesso nas novas instalações.

Vespa Clube de Lisboa

Vespa Clube de Lisboa

Vespa Clube de Lisboa

Vespa Clube de Lisboa

Vespa Clube de Lisboa

Vespa Clube de Lisboa

E serviram-me Sumol numa chávena de chá. Like a boss.
   

5.2.14

A gasolina mais barata do Porto

É aqui, na Rua de Serpa Pinto. Poupo um euro em cada depósito de sumo de dinossauro, sweeeet.

PC230522

PC230527

PC230521

Obrigado, Rede Energia. Por favor patrocinem-me.