29.9.10

A nova PX é tubular

Se andam à procura de notícias sobre a recente enxurrada de scooters eléctricas de marcas "trendy", estão no sítio errado. A Horta está em DEFCON1, 130% concentrada na nova PX. Desse modo podemos relatar que fontes bem informadas já viram a nova PX em produção e garantem que o quadro é tubular. Sim, tubular.

O supercomputador da Horta está a trabalhar a tempo inteiro estudando os cenários mais prováveis relativamente às especificações técnicas da "PX II", presentemente desconhecidas, e transmite os resultados directamente para o ciberespaço. Entretanto também foi possível renderizar uma simulação da tubularidade do novo modelo:

new PX with tubular frame

Estou surpreendido que a Piaggio tenha decidido mexer no quadro mas não chocado. Aliás, até prefiro que eles mexam muito do que pouco. A PX original é tão icónica que qualquer alteração dificilmente adicionaria algo ao seu desenho clássico, tendo antes o efeito oposto; é preferível fazerem algo diferente e moderno que estarem a retocar a Mona Lisa.

Quanto ao motor, aposto que será muito parecido com o antigo, 4 mudanças e 2 tempos, mas com injecção electrónica para ser amigo da Ana Teresa. Como costumo falhar completamente nas minhas previsões, isso significa que o motor será antes a 4 tempos com transmissão automática e carburador feito duma lata de salsichas.

24.9.10

Projectos que quero ver acabados

O Bolt Project @ Glass Garage...

The Bolt Project
(foto do Marrazes)

... a Vespa SPX 177 aka HotRoD...

SPX 177 a.k.a. HotRoD Project
(foto do Billy)

...e a minha Sprint, no chapeiro desde o Mesozóico Superior. :-\

Vespa Sprint bodywork progress

17.9.10

Projecto Porta-couves para Pêxizer

Há muito que queria um P.C. (Porta-Couves) para trás para complementar o meu dianteiro que, apesar de extremamente prático, não gosta de cargas grandes (ficam a tapar o farol). As ofertas no mercado não me seduziram devido ao tamanho excessivo, às secções articuladas estapafúrdias e à insistência nos cromados. A única solução revelou ser customizar um P.C. para largeframes tipo Sprint e Rally.

the before shot

Como podem ver na foto do "antes", a fixação inferior é composta por uma travessa que une as duas pernas e da qual saem dois pernos M8 que entram nos furos originais para a matrícula Italiana. A travessa teria que ser cortada para trocar esses pernos para M6 (para não ter que estar a alargar furos no chassis, algo proibido pela minha religião) e para facilitar o encurtamento das pernas.

Este sistema de travessa com pernos afigura-se-me como simples e elegante. Mais simples que o sistema de chapa grande por trás da matrícula, mais área de contacto que ter apenas um olhal na extremidade esmagada de cada perna, e mais elegante que ficar com o parafuso à mostra. Como concordará qualquer pessoa que já tenha tentado desenhar uma estrutura ou mecanismo (estive envolvido profissionalmente no design de maquinaria industrial durante algum tempo), "simples e elegante" é uma combinação extremamente difícil de obter; o normal é "complicado e esquisito", e isso nunca funciona bem.

A fixação superior usa os mesmos três furos e foi só encurtada para chegar o porta-couves à frente e evitar o look "prancha de mergulho". As pernas também tiveram que ser encurtadas e dobradas para combinarem com o formato diferente do chassis, o que implicou muitas subidas e descidas da escada que dá para o Bunker. Uma visita ao soldador depois...

new rack

...tenho um PC, nem muito grande nem muito pequeno, discreto, robusto e ao meu gosto, com um custo total pouco mais que simbólico. Curiosidade: o meu PC dianteiro também necessitou de ser massajado para encaixar - acho que era um modelo para a PK - tornando a minha Vespa na única que conheço que anda com dois PCs "errados".

new rack

15.9.10

Cartaz do passeio a Vigo

Ainda acerca daquele fantástico vídeo do passeio Porto-Vigo-Porto em 87 e das actividades patrocinadas (organizadas?) pelo Meridien e pela Buondi nessa era, fica aqui um par de cartazes respectivos que estão em exposição na CicloFoz, no Porto. História, meus amigos, História!

P1220137

14.9.10

Quadrophenia em 30 segundos - Mudes vs. Rockets

O filme Quadrophenia é um dos pilares da cultura Mod bla bla la responsável pelo revivalismo nos anos 80 bla bla bla e se tens uma scooter tens que ter um autocolante do "alvo" porque fica giro. Para quem quiser estar por dentro da moda e não tiver duas horas para gastar, pode ver a minha versão resumida de apenas 30 segundos, que dá especial destaque aos confrontos entre Mudes e Rockets bem como a cenas de nudez. De nada.



Disclaimer: este vídeo não recebeu forte investimento de tempo nem de esforço criativo, foi só mesmo para tirar esta ideia do sistema. O som, por exemplo, foi o primeiro e único take. É perfeitamente normal se a vossa reacção se limitar a um ou outro risinho discreto seguido por uma sensação de leve desapontamento.

10.9.10

Ape Cross Country 1:32

A minha colecção de miniaturas está encerrada! Será impossível superar o sentimento de alegria infantil que me invade ao brincar com a minha miniatura em escala 1:32 do Ape 50 de 1994 em versão Cross Country, produzida pela Italeri. A caixa é metálica e a cabine é em plástico; as rodas giram mas mais nada se mexe; o nível de detalhe é muito razoável, existindo até um pneu suplente por baixo da caixa.

Ape 50 Cross Country, 1:32

O Ape Cross Country era uma versão "lifestyle" orientada para os jovens que ainda não tinham carta de condução - nada diz "copulem comigo" como chegar à discoteca num veículo comercial de reduzida potência. Era baseado na versão pick-up, pintada em cores um pouco mais apelativas desta vez, e distingue-se facilmente pelo "roll bar" e ferros de protecção dianteiros. O banco também é diferente e tenho quase a certeza que vinha com rádio.

A Italeri produziu miniaturas de vários outros modelos de Apes, inclusivé na escala 1:18 com mais detalhe e portas que abrem. São facilmente encontradas no eBay mas a um preço caro; a minha apareceu numa feira de automobilia e ainda bem que esperei. Agora, se me dão licença, tenho coisas importantes para tratar. Brrrummm brrruuuummm hiiiiiiii bbrrrrruuuummm brrroooaaap broooap hiiiii putputputputput beep beep!

9.9.10

Universal Power for Scooters


Finalmente livrei-me dos esfregões ("Esfregões? Quais esfregões?!" - é clicar no link, diacho). Um zip-tie grande fixa a bateria de modo perfeito, obrigando no entanto a fazer um furo de 6mm no suporte da roda para passagem do dito. Como este suporte não é parte integrante do chassis incomodou-me pouco encostar o Black & Decker à Vespa.

UPS battery on Vespa PX

Modificação aprovada! Tenho mais duas destas baterias e outra com o dobro do tamanho para dar, se alguém quiser experimentar. As baterias são cortesia do Rodas de Modo Geral Pequenas, que também possui o copyright da expressão Universal Power for Scooters. Beep beep!

7.9.10

100.000 quilómetros em PX

Pelas minhas contas a PX já vai com 144.000 quilómetros. Como a comprei com 42.000 e tal no mostrador, posso afirmar com orgulho que já fiz 100.000 quilómetros na minha velha companheira.

100.000 kilometers
Eu deveria lavar a Vespa mais do que uma vez todos os dois anos...

Fazendo as contas chega-se a uma média de 25 quilómetros por dia, todos os dias, desde meados de 1999. Olhando para as minhas folhas de cálculo de consumo antigas, encontro anotações nostálgicas tais como "IP5", "trial", "Malcata", "Estrela", "goela [gás colado durante longos períodos de tempo]", "tubo gas. solto", "peq. fuga", "bicha soltou", " bicha partiu", "outro sem-fim" e "perdi conta".

Como se fosse necessária prova adicional que a pêxizer rula, eis o George Clooney a perseguir os mauzões numa. E, claro, encontro-me agora na obrigação de actualizar a minha T.I.S.S. (Tatuagem Indicadora de Status Scooterista). Eu deveria arranjar um programa qualquer que simulasse estas tatuagens - gasto um dinheirão no tatuador e nos tratamentos de remoção por laser...

t_IOOOOOKM

6.9.10

Caramulo Motorfestival: like!

O João convidou-me para ir, a coisa até prometia ser interessante e a distância revelava-se simpaticamente modesta. Siga para o Caramulo Motorfestival! Meti-me na habitual A29 mas decidi não abastecer em Ovar e esperar por Aveiro; infelizmente Aveiro é depois da saída para a A25 e não antes (raramente uso a A25 por isso o meu mapa mental das bombas nesta zona é muito difuso) o que obrigou a um pequeno desvio pela nacional para obter sumo de dinossauro. De novo apontado na A25 e de gás colado, eis que o motor dá dois puns e morre completamente. Choque! Horror! Confusão!

Mesmo antes de parar começo o processo de diagnóstico mental: ela morreu rapidamente de mais para ser vela suja ou problema de gasolina, e lentamente demais para pick-up morto. O que poderá ser? Tiro o balon e suspiro de alívio - cachimbo solto. Foi só isso, nunca me tinha acontecido.

Caramulo Motor Festival

Depois de vários quilómetros por serras e estradinhas ondulantes muito agradáveis, cheguei ao aprazível Caramulo. É uma terra muito bonita e confesso que já lá não ia desde miúdo. O Festival incide quase exclusivamente sobre carros, com ênfase no clássico e na competição. Muitos MGs, Lancias, Alfas, alguns Ferraris e Porsches, principalmente material Europeu dos anos 50 a 70 mas com variedade suficiente. É difícil não gostar. Até houve um biplano a fazer acrobacias e uma pequena feira de automobilia.

Caramulo Motor Festival

O local é acolhedor, com muitas árvores a fazer sombra, sendo apenas um pouco apertado às vezes para a quantidade de pessoas. O "speaker" mencionou o número recorde de público, e isso acaba por ser bom. O ponto alto, para mim, foram os dois Chevrolet Monte Carlo ex-NASCAR que por lá andavam; o barulho daqueles V8 de competição deve ser semelhante ao ruído do fim do mundo! Indescritível!

Caramulo Motor Festival

Quase 90 Vespas foram reunidas nesta concentração "acessória" do Festival, e todos pareciam estar a divertir-se. Os pilotos eram quase todos locais, e não vi muitas caras conhecidas.

Caramulo Motor Festival

A meio da tarde, depois de acabarem as corridas e bastante mais cedo do que o esperado, os participantes subiram a rampa ordenados por marcas com as Vespas a fechar o cortejo. A rampa é mais pequena do que estava à espera, mas foi emocionante passar a meta com todas as máquinas de filmar viradas para nós, o público a aplaudir e os "marshals" a abanarem as bandeiras coloridas em todas as curvas em celebração daquela grande festa. Dois polegares apontados para cima.

Caramulo Motor Festival

Espero poder regressar no próximo ano ao "Goodwood tuga".

2.9.10

Bob na AutoHoje

Fui convidado pelo excelentíssimo senhor director da AutoHoje para escrever um texto sobre scooters que reflectisse sobre a escolha e diferenças entre scooter e mota. É claro que ignorei completamente tais indicações e enviei um texto que não tinha nada a ver. Este texto foi rejeitado, para minha grande surpresa, e lá acabei por alinhavar umas palavras sobre o assunto tristemente desprovidas de humor. Como dizia um dos Gatos Fedorentos (o rechonchudo), "mostrem-me o cobre e então eu mostro-vos o marfim". Ou algo parecido.

Se não conhecem a AutoHoje, eles descrevem-se como "a publicação mais emblemática do mundo automóvel no nosso país. O Autohoje tem como principal valor o rigor informativo que oferece aos seus leitores semana após semana." Bem, se andam à procura de rigor informativo não sei porque é que foram ter com o Bob...

AutoHoje
Bob escreve para uma revista de carros - é mais um sinal do Apocalipse que trará o F.V.N. (Fim do Vespismo Nacional)

Sim, é verdade. O F.M.D.M. (Fungo Micótico da Dominação Mundial) saltou para uma espécie completamente diferente, provando de modo assustador a sua capacidade tremenda de se espalhar e reproduzir. Não actualizarei o G.D.M. (Gráfico de Dominação Mundial) porque um pé com 7 dedos é esquisito demais até para mim. Também não actualizarei a T.I.S.S. (Tatuagem Indicadora de Status Scooterista) porque "AutoHoje" tem 4 mais 4 letras que encaixam perfeitamente nos nós dos dedos não oferecendo nenhum desafio mental meritório.

Curiosidade 1: todas as vezes em que escrevi "mota" ou "motas" os ménes da AutoHoje trocaram por "moto" ou "motos" - os tipos da Scooting são bem mais imaginativos ao trocarem "pistão" por "êmbolo"...

Curiosidade 2: esta é a primeira vez na vida que Bob comprou uma revista de carros. (acho que vou começar a falar na terceira pessoa, gosto da maneira como soa... Quero dizer, Bob gosta da maneira como soa)

1.9.10

Prenda da mamã

- Um (1) calendário metálico universal com representação de scooter Zundapp Bella de 1955, dimensões 20x30cm. Vou deixá-lo na data do Solstício de Inverno de 2012, ocasião que marcará o FVN (Fim do Vespismo Nacional). Ah ainda não vos falei do FVN? Pois... Então vamos ter que conversar um dia destes...

Zundapp Bella calendar