10.10.08

GS150 nas revistas

(continuo a odiar computadores, sentimento extendido agora ao Windows Vista)

Aqui o Bob tem o dedo firmemente pressionado no pulso da cena scooterista nacional. Assim, da mesma maneira que eu previ que a Carina seria a moda do Verão de 2008, também prevejo que a GS150 seja a moda do Verão de 2009. E que as cassetes de vídeo Betamax vão regressar em força.

Retomando o fenómeno de repetidas aparições de scooters nas revistas nacionais de que falámos ontem, a GS150 mostrou-se na Motor Clássico e na DaMotoClássica. Na primeira apareceu sob a forma dum vietbodge Indonésio de contornos verdadeiramente lamentáveis, facto que já foi comunicado de maneira clara e repetida aos responsáveis da Motorpress; na segunda apareceu de maneira digna e minimamente adequada, como já aqui foi noticiado.

P1050256

Assim, está iniciada a corrida às GSs, e ao topo da cadeia alimentar Vespista. Adquiridas a preços de ouro e restauradas sob pressão, é vê-las a sair à rua na Primavera que aí vem. Esperemos que estas vindouras reencarnações façam jus à beleza do modelo, e não descambem para a sucatice parola. E por falar em sucatice parola, vejam a ilustração de GS150 que veio num CD de música dos anos 60 que tirei da pilha dos saldos.

Yellow GS ilustration

O CD apresenta uma boa relação preço-qualidade, e as músicas satisfazem na generalidade, graças a clássicos como Poison Ivy dos Paramounts e Anyone who had a heart de Cilla Black. A grande nódoa é a qualidade do "restauro" da GS que adorna o dito suporte de aúdio, pleno de falhas gravíssimas. Não só foi pintada de amarelo, uma cor que destoa notoriamente com a imagem do mítico Vespone, mas também foi montada incorrectamente, com o motor e a forqueta do lado esquerdo; o parafuso de fixação do motor e o escape também estão pintados de amarelo, sugerindo que a Vespa nem chegou a ser desmontada; as rodas devem possuir uma camada de tinta tão espessa que fez desaparecer o típico padrão em estrela das jantes da VS1; a roda dianteira parece estar completamente desalinhada do plano central do veículo; outros pormenores surgem à superfície com uma inspecção mais atenta, como a ausência das molas do descanso que deve tornar o uso prático desta scooter num pesadelo perigoso. Verdadeiramente vergonhoso! (sim, estou a desancar um desenho, já não dou porrada num classificado há algum tempo e isso faz-me falta, raios!)

Estejam preparados para uma multiplicação exponencial daquele singelo mas persistente anúncio: "Compro GS, qualquer estado". Sinceramente, em vez de ter que renovar o anúncio periodicamente, não era mais fácil fazer uma tatuagem?...

COMPROGS