31.5.08

Como é que se diz "embrulhe-me dois" em Indiano?

Os colegas do 2strokebuzz chamam a atenção para este link onde se podem ver duas páginas de fotos da fábrica da LML. Dêem uma vista de olhos porque são o futuro, e porque daqui a 20 anos vamos estar todos a restaurá-las.

"The only proper scooter factory left on earth", e a produzir motores de quatro tempos, que vão salvar o dia quando os dois-tempos finalmente não conseguirem acompanhar a legislação.

30.5.08

Tugabodge @ Automobilia

Esta Vespa 50s, restaurada profissionalmente por um stander especializado com oficina e autocolantes e tudo, estava à venda na Automobilia. Notam algo de errado?

P1020728

A forqueta está toda empenada para trás! Eu, que não sou especialista nem profissional, nem sequer completei um único restauro de Vespa e uso óculos, consigo notar que a forqueta está toda torta ao longe. E os senhores especializados que cobram bom dinheiro por este serviço não conseguem??!! Basta querer ver, é o que eu digo. É claro que esta Vespa rapidamente levou com um papelinho a dizer 'vendida', pois o Verão aproxima-se e um gajo tem que ir ao café, certo? Desde que tenha cromados e pneus de faixa branca...

Não só a forqueta estava consideravelmente dobrada para trás, mas também estava dobrada ligeiramente para o lado. De novo, o Bóber Pitosga não teve dificuldades em constatar tal facto simplesmente olhando para o veículo de frente, um procedimento altamente técnico só possível de realizar na fábrica em Pontedera. Mesmo que um mecânico experiente não detecte uma forqueta empenada durante o processo de desmontagem, algo inverosímil e assustador, o facto da roda ficar tão recuada dentro do guarda-lamas novo durante a montagem é uma pista flagrante e incontornável de que algo está seriamente errado.

Não visível na foto é a textura da perna da forqueta, repleta de crateras de corrosão que a tinta brilhante não conseguiu esconder, e que revelam uma vida passada bastante agreste. É necessária muita humidade para fazer uma cova de ferrugem num tubo espesso de forqueta!

O que vale é que vai deixar de haver gasolina e todos estes charutos vão ficar parados nas garagens e arrumos, fora de vista.

29.5.08

Avaliação sumativa!

Instalei uma panasquice que vos permite avaliar o interesse e qualidade de cada posta individual. Dêem uma volta a ver se está a funcionar, pf. Lembrem-se, usem o vosso poder para o Bem e não para o Mal.

E também há um panorama xunga do Bunker a embelezar o cabeçalho.

Almoço em Alcobaça

E com muito gosto que enviamos o cartaz do nosso 1º convivio VESPA MARAVILHA ALCOBACA esperamos as vossas comparencias
Não faço ideia quem seja o organizador desta actividade, ou se é algo recomendável. Mas como alguém teve o trabalho de me enviar a informação, o mínimo que posso fazer é retransmiti-la. Há alguns anos atrás, na época áurea dos Vespa Clubes Cogumelos que apareciam em todo o lado, é que se viam montes de folhetos a anunciar o 1º isto e o 1º daquilo. O fenómeno morreu um bocado, entretanto...

É já no dia 8, para quem estiver perto de Alcobaça, for aventureiro, e não acreditar no planeamento atempado. Bom passeio, coleguinhas.

Vespa Maravilha Alcobaça

27.5.08

Novo clube

Acabou de nascer um novo clube dedicado à Vespa em Sintra, com um nome deveras confuso. O "Clube Vespas HC Sintra" tem a sigla VHCS, que creio significar Vespa Hóquei Clube de Sintra. É ver aqui.

Então não era muito mais simples e bonito misturar a palavra "Vespa" com a palavra "hóquei"? Ficava algo do género "Vespoqueiros de Sintra". Se ainda não mandaram fazer os coletes, vão a tempo de mudar. Eu até cedo os direitos de autor e tudo! Têm é que me convidar para as provas de Hóquei-Vespa, ok?

Boa sorte, coleguinhas.

26.5.08

Fim de semana em cheio

Os Espanhóis partiram a louça toda no Festival Eurovisão, a sonda Phoenix realizou uma aterragem perfeita em Marte, e a Automobilia esteve apinhada de pessoas e sucata deliciosa.

Em relação a esta última, acho que não há muito a relatar. Andava por lá apenas um vietbodge, uma Super horrorosa; Tanto a OriginalVespa como a Vespa Garage apresentavam as novas LML; alguns charutos mais ou menos restaurados, e poucas Carinas; e todos os preços normalmente altos.

Todos? Não! Uma pequena aldeia de Gauleses... Espera lá, não é isto. Bem, a verdade é que o Jornal de Notícias relata "uma Vespa UNB de 125 cc, de 1960 [a] (12500 euros)", que eu não vi. Se tal for verdade, e todos nós sabemos que o JN nunca se engana, esta é a Vespa "normal" mais cara de sempre, batendo a Sprint (?) com side-car de 10.000 euros, e igualando a PX dos falsos 12.000 euros que não conta.

Mas a grande questão é: o que raio é uma Vespa UNB? É que se tiver alguma coisa a ver com a United News of Bangladesh, cheira-me a Vietbodge... E todos nós sabemos que o preço justo para um 'bodge é 3.500 euros. Certo?

22.5.08

Pinasco 178, ti amo

Nunca fui gajo de kitanços. Deus criou os motores 200 de propósito para os que querem andar depressa, logo não há grande necessidade de andar a ajavardar uma Vespa de fábrica. No entanto, quando levei o GPS à Regularidade, fiquei extremamente frustrado com as minhas velocidades na AE. Eu já sabia que o velocímetro marcava 10 a mais, mas os números nús e crús atiraram-me para uma realidade clara e deprimente: velocidade máxima de 89 nas descidas, e 70 à hora (ou menos, glup) nas subidas inclinadas? Inaceitável.

Há anos que tenho ouvido falar bem do Pinasco 175 (ou 177, ou 180 como lhe chama o fabricante). Ultra-fiável, boa força, construção de qualidade, consumos iguais ou inferiores aos de origem, pode ser montado com modificações mínimas, tudo coisas que foram sendo registadas e que se infiltraram inisidiosamente na minha psique. Gota a gota o copo foi enchendo e acho que lá para o Verão vai transbordar (era para ser no Natal, mas verificou-se uma derrapagem de calendário). Venha a mim o meu Pinasco, que eu passo montes de tempo nas AEs.

pinasco

Falta só responder a uma questão. Qual a cilindrada correcta? A marca diz 180, mas toda a gente se refere ao bicho como o Pinasco 175, ou o 177. Para calcular o volume de um cilindro temos V= pi.r^2.h. Sabemos que o pistão tem um diâmetro de 63 milímetros, e que a cambota da PX125 tem os tradicionais 57 milímetros de curso. Substituindo e fazendo as contas, obtemos um valor de 177.68 cm^3. Arredondando para a unidade mais próxima, surge uma nova designação para este kit, a designação oficial Horta: Pinasco 178.

21.5.08

Venham a mim os chaços

A Horta vai à corrida dos Chaços! É já no primeiro dia de Junho, em Vila de Fontes ao pé de Santa Marta de Penaguião- sim, tive que ir ver ao mapa. Segundo o PR que eu recebi via CapsLockMail... :

FALTAM POUCOS DIAS, (1 JUNHO) - PARA QUE AS 'MELGAS' DOS OUTROS TEMPOS RODEM NAS RUELAS DA SIMPÁTICA VILA DE FONTES NO CONSELHO DE SANTA MARTA DE PENAGUIÃO.

SERÃO 3 HORAS SEM PARAR ONDE AS VELHAS GLÓRIAS DA INDUSTRIA PORTUGUESA MOTOCICLISTICA, (ZUNDAPP, CASAL, MACAL, FUNDADOR, SIS SACHS ETC ETC...) VÃO FUMEGAR DEIXANDO NO AR AQUELE CHEIRINHO DE OLEO DOS VELHOS TEMPOS...

A FESTA VAI SER GRANDE, COMEÇANDO LOGO NO SÁBADO COM O CRUZEIRUSBAR APRESENTARMOS O MENU CHAÇOS /'FRANCISINHA+BEBIDA+CAFÉ' JUNTAMENTE COM BAILE DOS CHAÇOS E KARAOK... VAI SER FORTE!!!

NO DOMINGO DEPOIS DAS CORRIDAS NÃO PODIA FALTAR UM GRANDE ESPECTÁCULO COM A ACTUAÇÃO DE GEORGES CANÁRIO (MUSIC) ACOMPANHADOS COM UM BELO PORCO NO ESPETO E ONDE NÃO PODIA FALTAR O FAMOSO VINHO DOS FAMOSOS VINHATEIROS DA REGIÃO... E QUE REGIÃO!!!

E MAIS SUPRESAS ASSIM VIRÃO...

POR ISSO O ESPECTÁCULO ESTA GARANTIDO, E PARA QUE ELE SEJA INDA MAIOR APAREÇA E CONVIVI... A VIDA É SÓ DOIS DIAS!!!

CONTO CONVOSCO...

ATENÇÃO: TODA A RECEITA CONVERTE PARA A COMISSÃO DE FESTAS DO VISO 2008.

COMPRIMENTOS

"Comprimentos" para ti também, colega. Não sou grande entusiasta das motorizadas nacionais, mas uma corrida é uma corrida. E com vinho e porco no espeto, então nem se fala. E o concerto de Georges Canário?! Ui, TOU LÁ, CARAGO! E vocês? Por apenas 15 euros é uma oportunidade fantástica para ficarem em tracção durante 3 meses. Toca a "pedir emprestado à meia noite" o chaço do velhote ao fundo da rua, atestá-lo de 98 octanas e bolas de naftalina, e ir açapar para Vila de Fontes. Gááááááááááááás!

cartaz Urban Chaços Cup

19.5.08

As velas limpar?

Eu não limpo velas. Ando até elas apodrecerem e ponho uma nova. Às vezes nem isso. [som de flashback e desfocagem às linhas onduladas verticais]

Quando eu trabalhava na Maia há alguns anos atrás, a PX fazia 300.000 kms por ano. A manutenção era mais rara que uma gravata na concentração de Faro, e o balon do motor passava meses sem sair do sítio. Uma vez, ao entrar na Via Norte, o motor decide morrer, algo completamente inusitado e inesperado. Com uma naturalidade alarmante, calculei instantaneamente que devia ser a vela a desistir, depois duns 10.000kms sem atenção. E eu estava correcto. A folga entre os pólos era suficiente para lá montar umas prateleiras, a quantidade de carvão acumulado poderia suprir as necessidades energéticas da indústria metalúrgica Alemã durante 18 meses, e o desgaste do eléctrodo superior faria o Titanic parecer saído do stander. Vela nova, siga a Marinha, mais 10.000kms sem tirar o balon.

[som de flashback e desfocagem às linhas onduladas verticais de novo, regresso ao tempo presente] Eu peco muito por falta de manutenção. Mesmo que o oposto fosse verdade, uma coisa que nunca me apanhariam a fazer é limpar velas. Se o vosso motor estiver a funcionar bem, a vela tem obrigação de chegar ao fim do seu ciclo de 5.000kms sem problemas. Nem é preciso olhar para ela. Rio-me interiormente sempre que alguém fala em limpeza com gasolina e escova de dentes, ou queimar a ponta com um isqueiro. Isso é tanta treta! A minha avózinha tinha histórias melhores acerca de como comer fígado frito a fazer o pino durante a Lua Nova curava a micose.

Só há uma maneira de limpar uma vela, e essa maneira é abrasiva. O metal dos pólos tem que ser "decapado" para ficar limpo e reluzente. Onde é que a gasolina dissolve aquelas incrustações de carvão? Please. Boa sorte com o paninho e a escova de dentes. E em segundo lugar, as arestas dos pólos têm que estar afiadas. A electricidade adora arestas e vértices afiados para poder saltar, realizando o arco eléctrico necessário para iniciar o processo de combustão. Arestas arredondadas são "major turn off" para os electrões. É este o principal problema duma vela usada, sabiam? Arestas arredondadas.

Por isso, as velas não se limpam. Se sentem essa necessidade, é porque o vosso motor é panasca, e o carburador tem tendências "bi". Mas se forem tolerantes e americanos, sempre podem sacar do Visa e adquirir um limpador pneumático abrasivo destes ou destes. Aposto que não conheciam... Mas não se livram de serem gozados por mim, do alto da minha superioridade moral proveniente de recordes absolutamente graníticos de fiabilidade da PX, conquistados à força de maus tratos e milhentos quilómetros de abuso selvagem. Cambada de limpadores de velas.

Spark plug cleaners

(via Toolmonger)

16.5.08

Vai5

Tive o prazer de descobrir o blog Vai5 que, desde Março, nos presenteia com um fluxo constante de "fotos de motorizadas marafadas" e respectivos comentários.

Não estamos a falar dum blog pretensioso, com longos textos arrogantes e fotos todas pipis como este, não senhor. É uma página à homem, com a barba por fazer e cheiro a sovaco. Os comentários chegam a roçar o asiático com a sua acutilante filosofia proletária e simplicidade melodiosa de haiku. As fotos são agrestes e ásperas, autênticos disparos em movimento apoiados na anca. Imagens da estrada, sem estratagemas, sem adornos, sem falsidades. Bob gostar.


vai5

15.5.08

Vespaniada - da text... not!

Acho que não vai haver texto da Vespaniada. Sou preguiçoso como o raio, e além disso escrever postas longas parece-se demasiado com trabalho. Querem saber como foi, fizessem os 1500 quilómetros.

Mas sempre posso relatar que os Magníficos Sete que vieram por Trás-os-Montes a curtir a N206 e a gastronomia local deram um saltinho à Patocycles para se abastecerem de fornecimentos velocipédicos, e cumprimentar o Pato, Vespista recém-inaugurado. O jovem ficou tão sensibilizado que enviou prontamente posta para o seu blógue, foto incluída. Chéquem!

14.5.08

Vespaniada - da pics

As fotos já estão online no meu Flickr, ide lá. A ver se amanhã desenrasco aí um textozito para a malta. Entretanto fica aqui um clip da viagem de volta, com dois jabardolas a tentarem andar lado a lado, mexendo nos comandos do outro gajo.



7.5.08

Vespaniada

A Horta vai à Vespaniada! É já amanhã que me ponho na alheta. Acabei de trocar a vela e o óleo- meu, já se passaram 5.000 quilómetros!? Ainda não me recuperei do trauma que foi a mudança de óleo antes da Regularidade, mas isso é história para depois.

Deverá ser de arromba, a julgar pelos relatos no VespaGang. Acho que até vou de bigodinho, para meter nojo ao Little Tubbie Boy. E muitos de vocês estão feitos ao bife, por o encorajarem. As fotos do Ibero serão inspeccionadas atentamente e castigos apropriados serão dispensados.

cartel_A3_tam_real

6.5.08

A boa acção do dia

Boa em intenção, mas algo medíocre em execução. Quando parti um cabo de mudanças há pouco tempo atrás, pensei para mim mesmo: "Raios, ainda não comprei um cabo de acelerador para completar o kit de sobrevivência; se continuar assim vai dar molho". E deu.

Regressando a casa depois de um duro dia a tentar dominar o mundo, virei para o rio para ver a paisagem e descontrair um pouco. Parada na berma, meia desmontada, estava uma PX visivelmente avariada com um colega a pairar por cima dela tentando realizar algum tipo de reparação. Como um celestial anjo de guarda- ou abutre necrófago, vocês decidem- dei meia volta e ofereci a minha assistência mecânica. O jovem aceitou de bom grado, e foi com assustadora naturalidade que permitiu que um desconhecido total se aproximasse do seu veículo com uma chave de fendas e um alicate. Na terra dos cegos, e tudo isso.

O resto é bastante linear. Cabo de acelerador putrefacto com fracturas múltiplas. Kit do Bob tem muitos cabos mas não o de acelerador. Cabo de mudanças é muito grosso e não permite retorno. Falha miserável em recolocar aquela Vespa na estrada em condições. Lá se engendrou um cabo solto para o jovem puxar com a mão, e creio que ele deve ter conseguido realizar duas ou três curvas antes de sofrer algum acidente com maior gravidade. Desculpa lá, colega. Amanhã de manhã, não falha. São dois cabos de acelerador, fáxabor. Ah, e abraçadeiras.

5.5.08

Fui visitar a minha tia a Marrocos

Já voltei de Marrocos! Que raio de sítio mais confuso: como é possível misturar o deslumbrante e o miserável de maneira tão intensa? Ainda por cima não têm scooters, andam todos em Mobiletes putrefactas à noite, sem luzes, e com roupas da cor do asfalto. Algo que é perfeitamente legal, desde que não se ultrapassem os 20 quilómetros por hora (!!!!). Algo semelhante a uma Vespa PK foi o ponto alto da viagem. No plano rodoviário também se salientaram o camião com os 3 burros no segundo andar, o méne que subiu ao tejadilho em andamento para amarrar o tubo, as interpretações criativas das regras básicas de prioridade, e todas as ultrapassagens suicidas de quem não pode esperar para se reunir ao Criador. Se querem mesmo ver as fotos, é aqui.

Mas voltando ao trabalho de oferecer opiniões de valor humorístico duvidoso sobre assuntos de importância questionável, acabei de receber o programa final do World Vespa Week. Na Sexta-feira terá lugar a seguinte actividade:
  • " Hours 24.00 Sexy show Vespa "
Por favor digam-me que não é um daqueles shows de strip repugnantes com que os motoqueiros deliram todos na concentração de Faro e em todos os restantes ajuntamentos da categoria, e que conseguem, desafiando tudo o que é inteligente e decente, ocupar uma página dupla na Motojornal com fotos de strippers escanzeladas da Europa do Leste. Não pode ser!