24.1.08

Steve McQueen não era um poser

As estrelas do cinema mudaram muito. Antigamente é que era! Sem pensarem duas vezes, o Errol Flynn lançava-se pendurado de um candeeiro, enquanto o Burt Lancaster saltava para um comboio em movimento. Hoje em dia só temos um Tom Cruise todo avariado da cabeça à frente de um ecrã azul.

Um dos grandes foi o Steve McQueen. Quando vi esta foto dele, fiquei maravilhado. Qual Missão Impossível, qual quê! Eis aqui o Steve a participar no International Six Day Trial de 1964 , com a sua Triumph 650. Para quem não conhece, esta era e ainda deve ser a mais completa e dura prova de sempre para qualquer piloto e máquina. Os seus contratos cinematográficos impediam-no de correr com motas, mas ele fazia-o na mesma sob um pseudónimo e com excelentes resultados. A sua carreira na competição automóvel também se tornou invejável, com resultados de topo em provas de nível mundial.

No filme "The Great Escape", um dos mais fabulásticos de sempre, a personagem de Steve realiza o salto de mota mais famoso de toda a história cinematográfica no culminar da emblemática perseguição final. Na realidade, não foi o Steve que realizou o salto por imperativos do estúdio, mas ele fez quase tudo o resto e até mais. Devido à falta de duplos qualificados, o dotado McQueen pilotou em muitas cenas com motas, inclusivé vestido de guarda alemão em perseguição da sua própria personagem. Não existiam motas de cross, na altura. Pegava-se numa pesada mota inglesa, punham-se-lhe uns pneus de taco e uns escapes levantados, e já estava. Era preciso um homem a sério para andar fora de estrada com aquelas máquinas.

Infelizmente, Steve McQueen morreu de cancro no pulmão com 50 anos de idade. A sua imagem perdurará como sendo o "King of Cool", algo impossível de imitar ou comprar, o oposto diametral de um poser.