30.10.07

A pechincha do dia

A pechincha do dia é esta magnífica "Vespa 125 A.C.M.A." de 1978, que na realidade é só o quadro, pela módica quantia de 500 euros. Passo a transcrever o anúncio:

"500 €

Dados gerais: Sem garantia, 1 registo, Primeiro registo: Outubro de 1978, Azul, Gasolina

Descrição: Vendo chassis de vespa completamente restaurado e reforçado. A minha principal ocupação actual passa pelo restauro desta marca mítica! Possuo apenas este exemplar para venda, modelo LT roda baixa para 125cm3! Se precisar de mais informações não exite em me contactar!"

O vendedor colocou o seu nome, morada completa e dois números de telefone à disposição das multidões intermináveis de possíveis interessados. Farei uso de todos os picoNewton de força de vontade que conseguir reunir para ignorar o facto que alguém está a pedir 500 euros por um quadro axanatado, e concentrar-me no resto do anúncio.

"Vendo": logo aqui, prevejo 93% de probabilidades de dar barraca.

"chassis de vespa completamente restaurado e reforçado": e começa! Se está restaurado, ou seja, colocado em estado idêntico ao original, então não pode estar reforçado. Estar restaurado e reforçado simultaneamente faz tanto sentido como pintá-lo de azul-alface. Mas, lá no fundo, consigo compreender este desejo de reforçar os quadros das Vespas que chegam às nossas mãos. Não passa um dia sem que eu veja uma Vespa abandonada na berma, com o seu quadro partido a meio, resultado inevitável da fraqueza inerente a um chassis de desenho e construção medíocres, que apenas se conseguiu manter no mercado durante umas seis décadas, mais coisa menos coisa. O reforço é uma medida sensata. Decapagem? O quê, nestes quadros fracos? Nem pensar!

"A minha principal ocupação actual": daqui podemos concluir que o restaurador/vendedor em questão possui ocupações secundárias, que complementam a principal, e que estas ocupações são transitórias ou rotativas. Estilo hoje Vespas, amanhã serralharia naval, no dia a seguir alta costura, algo do género.

"passa pelo restauro desta marca mítica": também é uma surpresa descobrir que estamos em contacto com alguém que está efectivamente a restaurar a marca Vespa. Não sabia que eles estavam mal, acho que até têm vendido montes de automáticas, mas prontos... Ao fim de 60 anos, quem não precisa de um restaurozito? Olhe, aproveite para dar uma reforçadela, já que está aí. E quando vir alguém do Conselho de Administração da Piaggio, diga-lhes que eu quero uma Vespa S com motor 200, em preto-fosco, e 20% maior (na proporção 'actual' está um coche mota de gaja). Obrigadinhos. E quando acabar, se também puder restaurar a divisão de scooters da Innocenti, era fixe.

"Possuo apenas este exemplar para venda": pois, com estes preços foi logo o stock todo embora. É compreensível. Esperemos que seja uma situação apenas temporária, e que consiga passar lá por aquela sucata na França que tem o buraco na rede brevemente.

"modelo LT roda baixa para 125cm3": muitos de vós não possuirão conhecimentos avançados relativos a esta marca mítica, aos seus modelos e respectivos valores comerciais. Assim, estarão a pensar que 500 euros por um quadro axanatado poderá ser ligeiramente excessivo. Asseguro-vos que não, pois este é um quadro de um modelo LT, extremamente apreciado pelos coleccionadores e entusiastas. À semelhança do modelo LU de roda alta, o modelo LT ainda apresentava o problema dos quadros fracos que partiam sem aviso. Para contornar o problema, a Piaggio introduziu as rodas baixas no modelo LT que diminuem a altura da queda quando o quadro falha. Acreditem que é um pequeno pormenor que faz muita diferença. Eu não dava 500 euros por um quadro de roda alta, muito perigoso! Este modelo é para 125 cm3. Só precisam de obter esse motor, e absolutamente todas as outras peças que constituem uma Vespa, para estarem prontos a rolar na estrada numa linda Vespa clássica, sem preocupações ou problemas. Os documentos? Isso compra-se em qualquer papelaria ou tabacaria, sem stress.

"Se precisar de mais informações não exite em me contactar!": Não 'exitarei', não senhor!

[Ok, fui mauzinho nesta posta. Não tenho uma personalidade áspera ou cínica, mas de vez em quando lá tem que ser. Um gajo tem que deixar sair a ruindade senão fica cá dentro a moer e a fazer espécie, e um gajo fica todo lixado por dentro. Isto é saudável, é como um clister pó cérebro.]