22.1.08

Guarda-lamas de substituição rápida

A última Cafezada foi prolífica em diversão, convívio e fotografias de sucatice. Uma das pérolas captadas como uma série de zeros e uns etéreos foi este pormenor do guarda-lamas da 50s podre do PV. Estamos a observar uma tira de metal galvanizado que cobre um largo rasgo longitudinal e centrado na secção traseira do guarda-lamas, fixo com parafusos de madeira alinhados aos pares. Confesso que me foi impossível descortinar a utilidade ou razão desta modificação logo na altura, tendo o dono do veículo sido obrigado a vir em meu auxílio intelectual. "É para se poder tirar fora o guarda-lamas sem desmontar a forqueta."

A simplicidade brilhante da configuração do conjunto direcção/suspensão presente na dianteira dos nossos veículos favoritos acarreta uma pequena desvantagem: para se remover o guarda-lamas, é necessário retirar a forqueta do quadro. Esta modificação parece contornar tal inconveniência, bastando para tal retirar os parafusos e a chapa adicional. Mesmo que tal operação se revele prática ou vantajosa, qual seria a justificação do habilidoso que sonhou e implementou este sistema para necessitar de um guarda-lamas de substituição rápida?

Será que ele tinha um guarda-lamas de Domingo, mais bonito que o de semana? Um micro-clima localizado na extremidade da garagem com chuva ácida? Algum cão descomunalmente grande com apetite por peças salientes de chapa moldada? Todas estas situações são extremamente far fetched, prova da incompreensibilidade do fenómeno aqui apresentado. O caso será encerrado, com a classificação "insolúvel".