8.2.17

Bob constrói um velocímetro digital - parte 2

Vamos lá despachar isto rapidamente que vocês têm coisas importantes para fazer (parte 1 aqui). Fiz uma peça em MDF que suportará o perímetro da cena electrónica.

P1270316

Duas soldaduras de diminutas dimensões foram necessárias no sítio do botão das funções.

P1270323

Dois fios para o botão de arranque que controlará as funções, outros dois para o sensor da roda. Ainda não deitou fumo.

P1270332

Não tenho que estar a fazer furos para montar o botão de arranque porque já tenho um punho de arranque eléctrico. Porque é que ele está aqui, já não me lembro - não deve ser original...

P1270338

Montei o dito botão e passei o cabo.

P1270341

E agora topem-me só esta classe. Preto-fosco-que-não-é-completamente-fosco-é-mais-assim-acetinado e um pin do escudo antigo da Piaggio (a coisa mais linda do Universo). Pimp, bitches!

P1280354

O vidro estava mais áspero que lixa 60, e tentei remediar a coisa com uma lambidela de uma massa de polir que já anda aqui pela garagem desde o virar do século.

P1270346

Desmontei o sem-fim porque já não é necessário. E noto que a Vespa acelera mais, agora que não precisa de girar o sem-fim. A sério. Definitivamente. Sem exagero. Notem bicha partida logo à saída do sem-fim.

P1280363

 Para tapar o furo deixado pela ausência da bicha cortei uma pequena junta em borracha de câmara-de-ar.

P1280367

Que foi prontamente posicionada em postura pertinente.

P1280370

Fui obrigado a soldar um fio fino de electrónica ao fio do sensor para o fazer subir pela espiral antiga acima. (fazê-lo subir pela espiral abaixo pareceu-me má ideia, bem como o fazer descer pela espiral acima)

P1280372

Os testes iniciais revestiram-se de sucesso: a luz não foi abaixo no quarteirão nem peguei fogo à garagem.

P1280374

A terceira e última parte desta trilogia moderadamente épica aparecerá aqui*.

*válido apenas para assinantes da conta Horta Premium
   

6 comentários:

Miguel Santos disse...

Sempre a surpreender tão... badass!
Até ao momento a grande intervenção mecânica que fiz na minha "bella macchina violenta"
foi, desligar um cabo da bateria para não descarregar enquanto aguarda "melhores dias".
Como faço intenção de ficar só com um espelho, vou ver se me aventuro nestas andanças.
Quando falei com o vendedor se seria possível retirar o parafuso que sai do buraco superior no guiador, em vez de colocar os espelhos, ele disse que seria uma tarefa difícil. Será que é mais fácil na PX antiga!? Será que alguém se vai rir destas perguntas? Será quiçá...

Ranger Bob disse...

Não estou bem a ver como prendem os espelhos nas PXs novas mas desconfio que é só desapertar esse suporte e colocar uma tampinha no buraco. Em caso de dúvida podes desapertar a parte de cima do guiador para espreitar e ver como é (há 4 parafusos por baixo do guiador que a seguram).

Ricardo Lopes disse...

Já tive uma px das novas, e de facto tens de tirar a tampa superior do guiador e depois desapertar o suporte (espigão) do espelho, pois este tem uma base larga que não passa no buraco da tampa. Poderá ser necessário desencaixar o sem-fim do velocímetro e esta parte é que me pareceu mais difícil de voltar a montar.
Quanto ao Bob, não te imaginava a introduzires este gadget na PX, pensei que fosses fiel ao original forever...
É sempre um prazer a leitura destas postas.

Ranger Bob disse...

A minha PX está lentamente a ficar uma "rat" :). Desencaixar a bicha do velocímetro é fácil, há dois dentinhos que quase se apertam com os dedos para desengatar e soltar a bicha.

Miguel Santos disse...

Muito bom malta! Muito conhecimento se "colhe" nesta horta! :)
Creio que o melhor a fazer, é pegar num rolo de fita-cola prender um telemóvel à cabeça estilo "Conan o Bárbaro" e documentar passo a passo todo o processo de desmontagem.
Caso me engane na montagem é só rever o trailer. :)
Obrigado.

Marrazes disse...

Bob nas px novas sim basta desapertar o suporte, mas para o fazeres tens de desenfiar uma parte do tubo do acelerador ou das mudanças, dependendo do espelho que queres tirar.